Tumblelog by Soup.io
Newer posts are loading.
You are at the newest post.
Click here to check if anything new just came in.
mariavalentina29y

O Estímulo DE Gostar: COMO VOCÊ Pode Dominar UM HOMEM DE DEUS?

11 Sinais De Que Este Namorado Ou Namorada Não é Pra você


Na semana passada, duas publicações que se consideram como defensoras da mulher se encararam em duelo —e o efeito foi impensado. As fotos sem retoques atraíram mais de um milhão de visitas —mas o exercício bem como atraiu reações negativas. Pra muitos leitores, "Jezebel" parecia ter selecionado o alvo incorreto, uma atriz e roteirista que conseguiu um corpo "distinto" —ou seja, típico de alguém real— nas telas de Televisão. E apesar de que "Vogue" tenha retocado muito os fundos das imagens, ela deixou o corpo de Dunham, criadora e protagonista da série "Girls", na rede de Tv a cabo HBO, essencialmente intocado. Televisão James Poniewozik no Facebook, em fonte às cenas de nudez sem constrangimentos interpretadas por Dunham.


Veteranos "Jezzies", o apelido pelo qual são populares os leitores do blog, se queixaram na seção de comentários. Mesmo Anna Holmes, a criadora do Jezebel, afirmou em entrevista estar "surpresa" com o que suas sucessoras fizeram. O truque pode ter fracassado por outro porquê: as feministas ultimamente parecem ter conquistado a vitória —ou ao menos avanços importantes— em sua batalha contra revistas desse tipo. Dunham à versão francesa da revista "Slate", em resposta à controvérsia.

  • Vinte e um de janeiro de 2017 às 19:00 / Responder
  • 30 de maio de 2015 às 9:02
  • 7 - 13 "Mães e Filhas"
  • " ZERO VÍRGULA PATO POR CENTO(BR)"

Por décadas, as revistas femininas fizeram às feministas o favor de lhes oferecer alvos claros, ilustrações mensais a respeito de as atitudes sociais restritivas contra as quais o feminismo combatia. Em março de 1970, quase 100 mulheres ocuparam o escritório do homem que editava a revista feminina "Ladies' Home Journal" por 11 horas.


Contudo teu prato principal continuava a ser modelos brancas e magérrimas; fórmulas pra tomar a aprovação masculina; e a "fabricação de inseguranças que mais tarde as revistas mesmas ajudariam a definir", nas expressões de Holmes. Em 2007, Holmes desenvolveu o Jezebel, sob moderação na Gawker Media, como alternativa a —e arma de ataque contra— revistas como "Glamour" e "InStyle", pra quais ela havia trabalhado. No entanto desde em vista disso, as capas e o assunto das revistas mudaram.


Cindy Leive, editora chefe da "Glamour", em entrevista. A "Vogue" prometeu no ano anterior que não mais usaria modelos que "pareçam sofrer de distúrbios alimentares", e a "Glamour" expandiu seu uso de modelos cheinhas. Em 2011, Gloria Steinem aceitou o prêmio "mulher do ano", conferido na "Glamour", se aproximando de um gênero de publicação que no passado ela criticava. Em entrevistas, Leive, da "Glamour", e Joanna Coles, editora da "Cosmopolitan", dizem a todo o momento seguir pelo Twitter e outros meios digitais se tuas leitoras estão se sentindo bem representadas. Leive. Como Conquistar Virgem edição de fevereiro da "Cosmopolitan", tendo como exemplo, fornece avisos sobre isto como "apresentar-se e se proteger" no serviço, e um post sobre o assunto casais que tomam decisões conjuntas sobre isto abortos.


Jessica Coen, editora do Jezebel, citou em entrevista que ainda valia a pena combater as revistas femininas. Porém, Roxane Gray, porção de uma nova leva de críticas feministas que vêm conquistando atenção pouco tempo atrás, alegou que a "Vogue" e tuas congêneres não eram extenso amargura. Gray diz que em espaço disso teu assunto está na "erosão da categoria média" —e que prefere apreciar as revistas na fantasia que são.


Não é pra se tornar um bobo-contente: às vezes as circunstâncias nos obrigam a reagir de jeito negativo, e isso não é obrigatoriamente desagradável. Gianetti chama atenção para a diferença entre “ser feliz” e “estar feliz”. Dez Formas Impressionantes De dizer "eu Te Gosto" Por Mensagens De Texto levam uma existência cheia de momentos de prazer, entretanto que não têm um caminho ou um motivo.


No extremo oposto estão aqueles que abrem mão do ‘estar feliz’ por só pensar no futuro e viver com prudência demais”. Quem sabe o melhor caminho esteja entre esses 2. Atingir esse equilíbrio não é moleza e infelizmente não há fórmula mágica nem sequer manual completo. O lance é prestar atenção a si mesmo e ir mudando aos pouquinhos.


“As alterações mentais demoram e não são fáceis. Demandam um interesse constante”, aconselha o dalai. Satisfação não é um fim em si, e sim uma conseqüência do jeito que você leva a vida. As pessoas que procuram receitas e respostas complicadas pra ela acabam perdendo de visibilidade os menores prazeres e alegrias. É o dia-a-dia de alguém e a forma como ela reage às ocorrências mais banais que definem teu nível de felicidade. Ou, pra resumir tudo: um jeito garantido de ser feliz é se preocupando menos em ser feliz.

Tags: este conteúdo

Don't be the product, buy the product!

Schweinderl